Contratações a rodo, "afastam" possibilidades de aproveitamento da base no Palmeiras

13:23:00

Os questionamentos -- mais que pertinentes -- a respeito do uso a conta-gotas de jogadores formados nas categorias de base do Palmeiras, cada vez mais são colocados a tona. Ainda mais com diversas e diversas contratações feitas nos últimos anos (68 nos últimos cinco anos).

A "Era Crefisa" já superou  proporções financeiras da época em que a Parmalat injetava dinheiro no clube. E mesmo que haja o discurso de preparar atletas mais jovens, com empréstimos para outros clubes, a prática acaba nem sempre sendo efetivada. Isso porque tal operação visando experiência maior, vulgo "rodagem" para retornar ao clube na temporada seguinte, muitas vezes é alterada pelo próprio clube.

Victor Luis precisou de três empréstimos para ser repatriado (?), Com tantos bons valores nas categorias de base, qual razão para contratar tanto? Tudo bem que era preciso reciclar o elenco após quase outro rebaixamento ocorrer no Verdão, desde que houvesse um real aproveitamento da base palestrina. E mesmo integrando o bom atacante Yan, alegando um preparo ideal para ser efetivado em 2020, nada garante que de fato o atleta tenha espaço no maior campeão nacional.

As imprecisões em tais planejamentos, possuem com vários exemplos: Artur -- mesmo o achando fraco tecnicamente --, teria e deveria ter mais tempo em jogos oficiais. Teve lesão, mas quando retornou e parecia ganhar aos poucos espaço, foi escanteado. Agora, foi novamente emprestado, para não ficar encostado. Tal exemplo vale para Matheus Sales, que era uma grata surpresa como volante, foi emprestado e hoje está de forma injusta, esquecida pela SEP.

Maílton (lateral-direito), rescindiu seu contrato com o Palestra, ao perceber que não teria espaço no elenco profissional, após empréstimos ao Santa Cruz, assim como o zagueiro Augusto Silva, que foram para Mirassol e Londrina, respectivamente. Até Arthur Cabral, que teve passagem pelas categorias de base do Palestra, foi "readquirido". Contudo, mesmo haja desde o sub-11 até o sub-20, títulos e novas possíveis e potenciais revelações que agreguem ao elenco profissional no futuro, o "pojéto" de formação de jovens palmeirenses por melhor estrutura que tenha, e visão de desenvolvimento noutras agremiações possui várias contradições.



Foto: Cesar Greco/Ag. Palmeiras



por: Leonardo Bueno

Compartilhe isto

Posts Relacionados